sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Aos amigos que tive, tenho e terei...

Penso que por mais que escreva e fale coisas sobre amizades ou amigos, não encerro o assunto, e sempre haverá algo a ser dito. Cada coisa a seu tempo. Fico feliz em escrever sobre o tema, porque sei que muitas das definições e declarações que faço servirão para amizades e amigos de hoje e outros que irão muito além de minha breve existência.

Aos amigos que tive, tenho e terei...

Viajando pelo tempo, em minhas lembranças, encontro muita gente... Pessoas, amigos; queridos amigos. Definir a importância de cada um, é impossível, mas é possível dizer que cada um foi, é e será muito importante na composição de minha história de vida. Quem e como seria eu sem os amigos que tive e tenho? Impossível dizer. Cada amigo ocupa um espaço importante no tempo, na época, numa fase de minha vida e história dela. Cada um com seu jeito de ser amigo, cada um com seu perfil... Se pudesse reuni-los todos, abraçaria forte a cada um e diria a todos que os amei e que os amo e que não conseguiria traduzir em palavras a importância de cada um pra mim.

As distâncias, geográficas ou temporais, podem afastar os amigos, mas não destroem amizades verdadeiras. Amizades verdadeiras são mantidas, alimentadas, nutridas; ou simplesmente sobrevivem e continuam a existir a despeito do tempo ou da distância. Amigos de verdade, se desencontram, se encontram, se buscam, acham-se; mas não se perdem. As amizades verdadeiras adaptam-se ás mudanças que a vida inevitavelmente traz à historia de cada amigo; mas o sentimento, o carinho, o afeto e a importância de cada um, mantêm-se intacta.

Não exijo que meus amigos me entendam, ou concordem comigo em tudo, espero apenas que não me julguem por simples impressões a meu respeito ou aparências; e também não me rejeitem por meu jeito de ser e pensar. Não espero perfeição de meus amigos, pois perfeito não sou; espero apenas que sejam aprendizes da vida e na vida como eu. Não espero que me amem mais que a si mesmos, pois o amor que lhes dedico não substitui o amor próprio, e sem ele, não existirão por muito tempo e sofrerei a falta deles. Espero que entendam que não posso limitar a quantidade de amigos que tenho, mas acreditem que valorizo infinitamente mais a qualidade das amizades que mantenho. Sou amigo dos meus amigos, mas sou muito amigo dos meus amigos que são muito amigos meus.

Mesmo que eu tenha idéias e definições muito claras e firmes em relação ao que espero de meus amigos, acho que não é difícil ser um amigo meu; basta querer ser.

Fortaleza 09/08/08 wanderley tome de freitas – servo do Deus Vivo!

wanderleytome@ibest.com.br

3 comentários:

Anne - Carambeí - PR disse...

Tenho muito orgulho por fazer parte da sua história e da sua lista de amigos.Deus o abençoe meu irmão e amigo querido.

Lilian Daniel disse...

Tive um imenso prazer em ler esse texto maravilhoso e poder notar que fiz e faço parte dele e de sua caminhada,você e sua família também
fazem parte da nossa história e a história da Igreja Ebenézer de Itajubá.Que a paz do Senhor esteje com você meu querido e irmão em Cristo.Amo você.Abraços.

Thuane disse...

Nossa!!!
Adorei o texto, vc soube transmitir de maneira clara o q pensa.
Identifiquei muito com o peníltimo parágrafo, pq tbm penso assim... Acho q as pessoas deve expressar suas opiniões e não só aceitar o q as outras dizem. Todos tem ter a liberdade de expressão, de dizer o q acha, o q pensa, sem medo ou repressão. Tbm não exijo isso dos meus amigos e sinceramente, acho q ninguém deve exigir. As pessoas tem q saber aceitar as outras do jeito q elas são, sem distinção de cor, raça ou religião e não julgar sem antes conhecer. Concordo com o q vc disse sobre amizade verdadeira, o duro é encontrar amigos de verdade. Mas de uma coisa eu tenho certeza,NÃO É IMPOSSÍVEL!!!
Parabéns!