sexta-feira, 27 de maio de 2011

A evolução do ser humano...


A evolução do ser humano...
Um dia desses andando pela cidade deparei-me com uma cena que chamou-me a atenção e despertou-me para refletir sobre esse tema tão presente em todos os tempos, que é a evolução do ser humano. Vi um homem, um desses catadores de papel; puxava uma carrocinha carregada de lixo reciclável. Até aí tudo bem, se não fosse o fato da carga ter um volume impressionante. Parecia mais a carga de um caminhãozinho. Naquele momento eu fiquei pensando: cadê a evolução do ser humano? Há muitos anos atrás, os homens andavam de cavalos, carroças e charretes. Os bois ou cavalos puxavam carroças, transportavam cargas... Muitos anos depois, homens puxam carroças superlotadas e se submetem a condições humilhantes que antes eram apenas função dos animais. É claro que não é apenas isso, mas isso faz parte da reflexão. Não seria isso, de alguma forma um retrocesso? Aliás, se antes, mesmo na cidade, nos deparávamos, com carroças e charretes pelas ruas, misturadas aos carros, hoje são os humanos, e não são poucos, que puxam carroças pela cidade arrastando pesos enormes de material reciclável, descartados quase sempre sem nenhuma responsabilidade com o meio ambiente ou o ambiente em que vivem. É tudo uma realidade da vida moderna... Vida moderna? Homem evoluído? Tudo bem, alguém pode dizer que eles não estudaram, não tem muita instrução, por isso o que lhes resta é puxar carroça pela cidade. Então vamos falar de quem tem conhecimento. Um dia desses, conversando com meu irmão, pedagogo formado e que trabalha na área de educação há quase vinte anos, e ele falava: “O mundo fala e cobra tanto conhecimento, que as pessoas precisam correr atrás de conhecimento, adquirir conhecimento... e quanto mais adquire conhecimento, o mundo parece ficar pior.”  Quem pode entender de verdade tudo que tem acontecido hoje? Por que os homens correm tanto atrás de conhecimento e continuam sem no mínimo ter a capacidade de se respeitarem? Por que o homem que evoluiu ainda é capaz de destruir o próprio planeta, a casa onde mora? Por que o homem que evoluiu ainda permite que seus semelhantes morram de fome, morram a míngua, morem e vivam em condições subumanas? Um dia desses vi essa foto ilustrativa que mostra bem a evolução na área da educação.
 

Depois ouvi uma reportagem que dizia que novos professores concursados e contratados estavam abandonando a sala de aula por conta da violência. Certamente há de chegar o dia em que os professores serão policiais armados, ou serão protegidos o tempo todo em sala de aula por seguranças brutamontes que os protegerão dos alunos.  O homem que evoluiu se aglomera em mega-metrópoles, em residências cada vez mais verticais, em ambientes sobrecarregados de poluição, por conta da queima de combustíveis feita pelos veículos que se amontoam em ruas cada vez mais estreitas para a quantidade de veículos em circulação, e tornam o trânsito cada dia mais caótico. Enquanto aumentam as moradias verticais, em prédios e condomínios de luxo, a pobreza se concentra em favelas, periferias sem infraestrutura adequada, onde se perpetuam gerações de pobres, muitas vezes sem as mínimas condições de vida. Em grande parte dessas periferias, o saneamento não é nem mesmo básico, é inexistente . Casas construídas de qualquer modo e forma são muitas vezes ameaça á segurança de quem as habita. Basta dar uma volta em algumas das periferias e bairros pobres que vamos encontrar uma enormidade de casas aglomeradas, esgoto a céu aberto, sujeira por todo lado e pessoas com carências enormes. Meninas, quase crianças ainda, são vítimas do descontrole, da falta de orientação e muito cedo entregam-se ao sexo livre, por isso, quando não trazem crianças na barriga, que é a consequência mais natural disso, trazem no colo ou puxadas pela mão, ou deixam mesmo soltas por aí, expostas a tudo, numa realidade de vida onde geralmente os caminhos levam para erros fatais. Meninos, também quase crianças, se envolvem no crime logo muito cedo; foram criados sem saber o que são limites, e agora acham que uma arma resolve tudo e o limite é apenas a morte. O homem que evoluiu ainda é capaz de ser egoísta e pensar apenas em si mesmo desde as pequenas coisas; desde a vaga do estacionamento, quando coloca o carro primeiro, sem respeitar o outro que já a espera antes dele, até o desvio de verba que iria para a merenda escolar de crianças carentes... e ás vezes tão carentes, que dependem quase que totalmente dessa alimentação. Os prêmios milionários pagos pelas lotéricas, em parte também é fruto do egoísmo e ganância das pessoas, pois muito provavelmente milhares não jogariam se o prêmio milionário fosse divido entre muitos ganhadores. Quase sempre é o sonho e a vontade de ganhar uma bolada enorme sozinho e não precisar mais trabalhar que motiva as pessoas a jogarem. O homem que evoluiu submete-se a correria da vida moderna, torna-se escravo dos horários, vive apressado demais, estressado e não poucas vezes deprimido. O homem que evoluiu ainda mantém concentrações de renda e riquezas sob o domínio de poucos que os permitem esbanjarem e fazerem extravagâncias, enquanto a grande maioria da humanidade é segregada e padece vivendo ou sobrevivendo na pobreza, onde os problemas se multiplicam, a criminalidade se reproduz e as tragédias são banalizadas. E o homem que evoluiu mantém as relações cada vez mais superficiais, os contatos cada vez mais virtuais numa dependência sem limites dos eletrônicos. Um dia desses ouvi o comentário de um comentarista na área de informática, e ele dizia que os cientistas estão preparando os computadores para serem sensíveis ás reações dos humanos, serem capazes de entender o que estão sentindo. Só falta agora transformarem máquinas em psicólogos de humanos. Que aliás, não é muito surpresa, já que há uma tendência enorme da humanidade em humanizar cada vez mais as coisas enquanto coisifica as pessoas. E por falar nisso, as máquinas tem substituído cada vez mais os humanos em diversas funções. Não sou contra as máquinas, mas o fato de elas tomarem o trabalho de muitas pessoas gera um problema que precisa de solução. O ticket de estacionamento do shopping que antes era recebido por uma pessoa, agora é pago a uma máquina que recebe cédulas e moedas e ainda passa troco.  Também existem as que fazem atendimentos telefônicos “call Center” E voltando um pouco, sobre a coisificação das pessoas; já faz tempo que pessoas são tratadas apenas como objeto de uso pessoal ou coletivo e muitas vezes descartável. Gente com preço tabelado; vendem-se e compram sem nenhum escrúpulo. Corpos á venda ou para alugar; ofertas em sites ou em classificados de jornais. A pornografia exposta para quem quiser ver; e quem não quiser também verá. A banalização da vulgaridade invade também as músicas, e muitas delas trazem letras com textos eróticos que são tocadas a qualquer hora e pra qualquer um ouvir. Repetições apelativas de palavras e expressões de sentidos obscenos muito mal disfarçados na letra que se canta. E as crianças, que nascem em um mundo evoluído, nascem sem direito a ter infância completa, porque muito cedo, precocemente são expostas a coisas, imagens e fatos que não deveriam encarar tão cedo, por isso levam as consequência pra vida inteira... tais como: a super valorização do corpo, do sexo, da beleza, do ter...em detrimento da pessoa, do ser, do caráter, da personalidade, dos princípios e valores. E aliás, esse drama das crianças do homem evoluído vai além, pois vivem a época da desvalorização da família como base da criação e disciplina na infância. A família sofre o egoísmo de pais que pensam apenas em si mesmos e por isso, casamentos se fazem e se desfazem na mesma velocidade e simplicidade. Por algum motivo se casam, e por quaisquer outros motivos, nos quais também se inclui o: “não estar mais afim”, se separam. E as crianças, nascidas no meio do que se pensava ser amor, agora vêem seus pais se separarem, muitas vezes se odiarem, se agredirem ou brigarem na justiça por bens patrimoniais. Como se não bastasse, agora também casais do mesmo sexo, com direito legal do casamento serão candidatos á adoção e criarão crianças sem o referencial de pai e mãe. O homem que evoluiu construiu sistemas complexos de administração que quase sempre explora o povo com altos impostos e que nem sempre são revertidos realmente na proporção que deveriam ser em benefício de quem os  paga. Cobram impostos altos para que o povo tenha direito á educação, saúde, segurança, moradias de qualidade e estradas boas. Com raras exceções, alguns países do mundo moderno talvez tenham conseguido isso. Mas na grande maioria, isso é apenas retórica de campanha política. Promessas vazias.  Muitos dos administradores, escolhidos pelo povo, são muitas vezes os mais beneficiados com tais impostos, visto que usam grande parte para seus salários que aglomeram muitos benefícios e fazem da quantia infinitamente desproporcional ao que a maioria da população ganha. E muitos desses ainda desviam recursos e verbas aumentando patrimônios e enriquecendo-se cada vez mais. Os sistemas de justiça do homem evoluído são falhos como o ser humano é. Além disso, caminha a passos lentos, e não poucas vezes parece não ser imparciais, quando as diferenças são tão enormes no tratamento de ricos, pobres e negros. Os presídios, que deveriam ser lugares não apenas punitivos, mas também lugares de educação para a vida; são verdadeiras escolas do crime. Com raras exceções, a maioria deles, são apenas ambientes onde se proliferam as idéias de novos crimes, que são mantidos muitas vezes pela conivência de gerenciamentos corruptos e falidos que sobrevivem repartindo altas propinas em trocas de vantagens absurdas.  Criminosos presos, alimentados pelo país com tempo de sobra pra pensarem no mal. E não poucas vezes, não só pensam como também comandam ações de dentro dos presídios com a permissão, às vezes da incompetência e às vezes da falta de vontade de quem poderia impedir e permite.
O homem que evoluiu faz guerra em busca da paz, deixa milhares de crianças órfãs, mata, mutila corpo e alma de inocentes civis indefesos e deixa países inteiros em ruínas, sob escombros.
O homem que evoluiu ainda é dominado pelo capitalismo, que pra mim talvez nem precise de grandes quantias para se caracterizar como tal. Penso que Judas Iscariotes, o discípulo que traiu Jesus é um símbolo desse capitalismo, que embora nem sempre tenha muito, ainda assim, o dinheiro é o que parece mais interessar. Judas traiu Jesus por trinta moedas de prata. Diante desse fato, a quantia é irrelevante, pois há princípios e valores que são inegociáveis. Mas o homem dominado pelo capitalismo valoriza muito mais as coisas que princípios ou até mesmo pessoas. Quanta gente está mais interessada no quanto vai ganhar, lucrar, não importa o modo ou forma, do que em manter o caráter e a reputação irrepreensíveis. Gente capaz de negociar princípios morais e éticos, por menores que sejam os valores financeiros que terão. Gente que faz do consumo a válvula de escape, explora outros, mas esbanja com futilidades, supérfluos. Gente que se sensibiliza muito mais com qualquer coisa que se acomete ao animalzinho de estimação do que com milhares de crianças que padecem de fome e desnutrição todo dia.
O homem que evoluiu ainda olha para a ciência e a tecnologia como a solução dos maiores problemas da humanidade e esquece que o ser humano jamais será máquina e máquinas jamais serão humanos. A ciência do homem que evoluiu ainda duvida do Criador, vive tentando explicar a criação, descobre mistérios todo dia e tenta desesperadamente encontrar uma forma de eternizar o homem tal como é, evitando o envelhecimento e morte.
Entre tantas coisas que penso sobre o homem que evoluiu, uma delas é que sinceramente penso que tudo se resume numa coisa. O homem que não aceita a Deus como criador de todas as coisas, como aquele que foi capaz de enviar o próprio filho para morrer numa cruz pra dar vida eterna a quem nele crer; por mais inteligente que seja, não é sábio o bastante para entender que tudo, até a própria vida está nas mãos do Criador.
Há um sujeito que faz previsões tecnológicas absurdas. Lança livros contendo tais previsões e até tem leitores famosos como Bill Gates e outros. Não duvido de muitas de suas previsões porque a ciência avança a passos largos rumo ao futuro. Mas me arrisco a dizer que com toda e qualquer evolução humana e tecnológica, o homem ainda vai morrer e jamais será capaz de evitar a morte física por tempo indefinido. Também digo que os avanços tecnológicos jamais evitarão a solidão, a depressão, às mágoas, o ódio, a indiferença e nem fabricarão ou substituirão o amor. E mais; querendo, aceitando ou não, todos terão de enfrentar a degeneração do corpo, da mente, a morte e a eternidade depois.
Eu espero e desejo que a evolução dos humanos atinja um ponto em que a desigualdade social seja apenas a diferença do quanto cada um tem, mas que todos tenham, se não muito, o bastante para viver com segurança e dignidade. Que as grandes aglomerações sejam repensadas em busca de equilíbrio entre a quantidade de coisas que se tem e a qualidade de vida que se vive. Que a felicidade importe mais que a capacidade de ter. Que a grande explosão demográfica seja controlada por planejamentos familiares capazes de manter a existência de uma população com um número razoável, evitando a existência de uma multidão de miseráveis. Que o diálogo seja sempre o recurso buscado diante dos conflitos. Que o planeta, já tão estragado pela evolução, seja restaurado e reconstruído com ações concretas de preservação e bom uso de seus recursos. Que a ciência avance a ponto de permitir que os humanos vivam sem tantos sofrimentos diante das mazelas que atingem a fragilidade do ser. Que os homens evoluídos entendam que a família é a base de tudo e que uma sociedade só pode ser saudável a partir de famílias estruturadas e saudáveis. Que a justiça do homem que se evolui atinja o nível em que a justiça seja igual para todos, com punições exemplares e processos eficientes de reabilitação e educação para a vida.
Que as evoluções tecnológicas sirvam para facilitar a vida de muitos, mas, jamais tire das pessoas a capacidade de relacionamentos pessoais, pois a necessidade sempre existirá.
Que a humanidade evoluída aceite a Deus como Criador de todas as coisas, pois Ele é soberano sobre tudo e o único capaz de conceder vida eterna.
Diante das evoluções que tem provocado e produzido transformações tão profundas e radicais no mundo, como ser humano que sou, e com minha visão limitada de futuro, tenho dúvidas enormes, se os processos de degradação e destruição do planeta e até das coisas mais básicas e fundamentais da vida em sociedade serão realmente reversíveis. Mas independente disso, procuro fazer o que posso e o que devo, crendo sempre em um Deus de poder ilimitado que pode fazer infinitamente mais do que sou capaz de pensar.

Não acredito que o homem possa mudar os planos de Deus, mas creio firmemente que Deus pode mudar não somente os planos dos homens, mas os homens dos planos também.
wanderley tf - Fortaleza-CE 25/05/11
wanderleytf@gmail.com

2 comentários:

Rosana Freitas disse...

Parabéns Querido! O texto é ótimo,me fez pensar em tantas coisas...è interessantíssima a forma como você escreve, fazendo um apanhado de tudo o que vemos no nosso dia dia,nos lugares por onde passamos, ou até nas notícias que ouvimos; coisas que nos angustiam muito e que não sabemos como lidar na maioria das vezes.Então ler um texto como este é um refrigério, a gente descobre que alguém mais se importa, que alguém além de mim, também está perplexo com o rumo em que as coisas vão indo...Obrigada pelo privilégio de refletir com você e caminhar junto, na busca de um mundo melhor, mais humano e realmente evoluído.Que Deus te abençoe e ilumine cada dia mais, para que outros textos como este sejam escritos e abençoem a vida de muitos, Amo você, sou sua fâ,sempre!

Alessandra Greenhalgh disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.